quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

GOVERNADORES DO NE CONTINUAM A QUERER DISTÂNCIA DE BOLSONARO


Nenhum dos governadores do Nordeste compareceu à posse do presidente Jair Bolsonaro. Alegaram que iriam tomar posse na mesma hora, e não tinham como estar em Brasília na mesma hora para assistir à cerimônia presidencial. Explica mas não convence. Porque poderiam muito bem antecipar a posse para o período da manhã como fez Eduardo Campos em 2006, 2010 e 2014 para assistir à posse dos ex-presidentes Lula e Dilma, respectivamente.
Na realidade, eles estão querendo distância do presidente Bolsonaro, o que é uma atitude primária e burra, pois nenhum tem folga financeira para dar-se ao luxo de não precisar de ajuda do governo federal. Se foi combinado ou não, ainda não se sabe. Mas o fato de não terem comparecido, em bloco, pouco foi notado até pelos veículos de imprensa, que estavam mais preocupados com as celebridades internacionais.
Porém, se tivessem marcado presença na solenidade, teriam chamado a atenção de quem estava lá, como chamou o presidente da Bolívia, Evo Morales, que ao ser convidado para a posse compareceu, apesar de ser considerado “socialista” pelo governo brasileiro. E “socialismo”, como é sabido, é algo que o novo presidente abomina, a julgar por suas palavras no discurso de posse dizendo que o Brasil começou ontem a “se libertar do socialismo”.  O “índio” boliviano praticou um gesto de civilidade política, os governadores do Nordeste, não!
Por Inaldo Sampaio / Coluna Fogo Cruzado – 03 de janeiro de 2019