quinta-feira, 25 de maio de 2017

PARA GONZAGA PATRIOTA, VEREADORA QUE FALOU MAL DE NORDESTINOS DEVE SER AFASTADA

O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB-PE) repudiou, nesta quinta-feira (25), em pronunciamento no plenário da Câmara, as declarações da vereadora Eleonora Broilo (PMDB), de Farroupilha (RS). Em sessão pública realizada na última segunda-feira (22), na Câmara de Vereadores da cidade, ela fez comentários ofensivos a pessoas naturais do Nordeste do Brasil.
Ela disse: “Eu acho que os nordestinos sabem muito bem se unir, sim, para roubar. Eles sabem se unir para ganhar propina. Eu acho que eles sabem se unir para aumentar a corrupção. Isso eu acho que eles são donos. Isso eu concordo, plenamente.  […] Talvez até eles não saibam falar muito bem, mas sabem roubar que é uma maravilha. Nisso eu concordo”.
Para Gonzaga, a representante da casa legislativa deve ser afastada urgentemente do seu cargo. “Nós, nordestinos, temos tanto carinho pelos gaúchos! E aparece uma vereadora lá no interior do Rio Grande do Sul para dizer que os nordestinos são ladrões. Ladrão, no Brasil, tem muitos! Mas ela tem que sair de lá urgente. Ela não pode estar na casa do povo falando mal de nordestino, de brasileiro, de sul-americano. Isso é um desrespeito, uma falta grave e ela deve ser cassada “, destacou o parlamentar.
O caso será analisado pela Comissão de Ética da Câmara de Vereadores de Farroupilha, que terá 30 dias, prorrogáveis por mais 30, para apresentar o relatório final do inquérito. A peemedebista poderá ser punida com uma advertência, suspensão ou cassação do mandato. Caso o relatório aponte perda de mandato, a Mesa Diretora da Casa abrirá um processo administrativo contra a vereadora, cumprindo o que determina o Código de Ética da Câmara. O resultado também vai a votação.
Em nota, Eleonora disse que sua fala foi retirada de contexto e distorcida.

“A minha fala foi feita em um contexto político e relacionada ao momento político do país quando um vereador havia falado que os políticos gaúchos não sabiam fazer política, só os políticos nordestinos. Me senti ofendida e respondi no contexto político. Em nenhum momento se falou em povo. Reconheço que faltou a palavra “político”. Me retratei em seguida, não deveria ter assumido essa proporção que assumiu. Se o vídeo que foi para a mídia tivesse sido colocado na íntegra, eu digo que em nenhum momento se falou no povo, mas sim nos políticos e no contexto de corrupção. Estava defendendo os políticos do Sul. Já me desculpei e me desculpo de novo se ofendi alguém. Também não generalizei, porque político corrupto existe em qualquer lugar, assim como políticos bons. Pegaram no meu pé porque sou uma pessoa combativa na Câmara. Sou a única mulher, defendo a política feminina, defendo o hospital (São Carlos), vivo no embate com o Executivo porque somos oposição. Existe uma necessidade deles de conseguir alguma coisa contra mim.”